No setembro amarelo,Seduc inicia projeto Educação Pela Vida

10/09/2019     Ranielly Veloso


"Este projeto com certeza vai ajudar muitos alunos. Nós não somos formados em Psicologia, mas devemos ajudar e aconselhar nossos alunos naquele momento de fragilidade. Nós não podemos deixá-los sozinhos", se sensibiliza a professora Teresa Cristina Faustino, diretora da Unidade Escolar Sigefredo Pacheco, após apresentação do espetáculo "Quem me roubou de mim?", do artista Valdsom Braga. O espetáculo faz parte das ações do projeto Educação Pela Vida, da Secretaria de Estado da Educação (Seduc), iniciado oficialmente neste 10 de setembro, dia mundial de prevenção do suicídio, que surgiu justamente com o objetivo de mobilizar os educadores pela causa, uma vez que de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), nove em cada dez casos podem ser evitados.




A peça de teatro e a divulgação de ações e canais que a comunidade escolar pode usar para combater comportamentos depressivos, bem como bullying e violência, são as atividades que vão percorrer inicialmente escolas da capital e da 7ª Gerência Regional de Educação (GRE), que compreende a região de Valença, ao sul do estado.


Na manhã desta terça-feira (10), servidores e diretores estiveram no auditório da Agência de Tecnologia da Informação (ATI), no Centro Administrativo, em Teresina, para assistir ao monólogo e também compartilhar realidades pessoais e das escolas. Na oportunidade, a supervisora da Central de Prevenção ao Bullying e Violência do Mobieduca.me, Andressa Moura, divulgou o aplicativo para smartphones Juntos Numa Boa, lançado no dia 7 de abril, dia de combate ao bullying. O app ajuda a combater casos de violência escolar pois recebe denúncias e envia às autoridades competentes para a resolução dos casos e, quando necessário, encaminha as vítimas ao serviço médico ou a especialistas, como psicólogos e assistentes sociais.




A Unidade de Gestão e Inspeção Escolar (UGIE) da Seduc, junto com a Gerência de Inclusão e Diversidade (GID) e o Núcleo de Apoio Psicossocial (Nuapsi) estão à frente da programação que se estende o ano todo e não apenas no mês denominado amarelo, que tem como foco campanhas educativas de valorização da vida. "As escolas já desenvolvem ações durante o ano. Aqui foi um momento mesmo de mobilizar gestores da educação para que percebam cada aluno e profissional, porque a escola deve ser um espaço que facilite a convivência e nós devemos aproveitar isso para resgatar, inclusive, vidas", explica a diretora da UGIE, Ana Rejane Barros.




"Para mim foi muito gratificante aprender um pouco mais e ver que todos juntos podemos trabalhar em prol da vida. No Ceti Moacir Madeira Campos nós já temos o projeto Construtores do Amanhã, que trabalha a prevenção ao suicídio e faz o reconhecimento do eu interior do aluno. Podemos até compartilhar com outras escolas e unir esforços para que de forma coletiva possamos salvar mais e mais jovens", relata a coordenadora pedagógica Verbena Roque. 






A peça "Quem me roubou de mim?" também será apresentada nos próximos dias aos estudantes da rede, junto com as ações do projeto Educação pela Vida. O monólogo chama atenção, de acordo com o próprio autor e intérprete, para a libertação dos cárceres que aprisionam e impedem que as pessoas sejam os próprios autores da sua história. Na peça, o personagem escuta vozes de quatro pessoas que são representadas por máscaras. São essas vozes que causam traumas e crises depressivas no personagem, que passa por um processo de metamorfose até se libertar do estado depressivo.




Nas escolas, além da apresentação, o artista Valdsom Braga realizará um workshop de jogos teatrais que tem como objetivo possibilitar uma reflexão sobre o estado emocional. "É uma satisfação começar hoje e ter a presença dos educadores, que eu acho que são a base dentro desse processo, pois eles têm contato diário com boa parte desse público, e ver a resposta positiva que eles dão pelo trabalho é muito bom. Foi marcante ao perceber nas falas deles que o personagem emite muitas situações que eles presenciam no cotidiano. Nesse processo descobrimos que precisamos cuidar do outro. Fico feliz em ver a resposta do público com o espetáculo e tenho certeza que muitas coisas boas virão nos próximos dias quando estivermos em contato direto com o aluno", diz o ator. 


Logo no dia 12 será a vez de três escolas do bairro Anita Ferraz, jurisdicionadas à 20ª GRE. No dia 13 de setembro, os Comitês Escolares, Equipe Multiprofissional das GREs e Rede Protetiva participarão de Vídeo Conferência voltado para a mediação de conflitos escolares com psicólogo Fauston Negreiros. No dia 19 de setembro, gestores, docentes e alunos das escolas jurisdicionadas à 7ª GRE (Valença), comitês escolares, equipe multiprofissional das GREs e Rede Protetiva estarão juntos para a apresentação do projeto Educação Pela Vida.




Durante a última quinzena do mês de setembro, outras atividades, como a conferência Educação Pela Vida e rodas de conversa, serão realizadas em todas as escolas da Seduc.



AÇÕES NAS ESCOLAS

Na zona sudeste de Teresina, a Unidade Escolar Deputado Tertuliano Milton Brandão, que atende 311 alunos dos ensinos Fundamental 2 e Médio, decidiu ampliar os horizontes com uma proposta além. Em um ano eles pretendem atingir o maior número de pessoas da comunidade ao redor da escola e principalmente os alunos que foram detectados com comportamentos depressivos.



O projeto Setembro Amarelo: o amarelo pede atenção à vida começou nesta segunda-feira (09) e vai até o dia 10 de setembro de 2020 com um desfile cívico na avenida principal do grande Dirceu. No primeiro dia de execução, os profissionais do programa Saúde na Escola, voltado à saúde mental e física dos alunos, da Unidade Básica de Saúde mais próxima, foram até os alunos e desenvolveram dinâmicas nas turmas consideradas críticas com o tema valorização da vida.




A professora Elisnete Gomes, diretora da Unidade Escolar Deputado Tertuliano Milton Brandão, jurisdicionada à 21ª GRE, no Dirceu I, ressalta as atividades que serão trabalhadas ao longo do período. "Em parceria com profissionais locais, como psicólogos, sociólogos, conselho tutelar, artistas, vamos desenvolver atividades que despertem nos alunos o valor da vida e aborde as temáticas depressão e suicídio como mal do século", reforça a diretora.




Por ser um problema atual e atingir boa parte dos jovens, os educadores irão incentivar os alunos por meio de palestras, exposições, mostras culturais, vídeos, pesquisa, visita às famílias, a valorizar do outro e de si.




"Os casos que forem necessários serão encaminhados aos profissionais da área. O que nós queremos é firmar a parceria com as famílias e assim trazer os pais para dentro da escola", finaliza a professora.

 
SOBRE O SETEMBRO AMARELO 

No ano de 2015 foi criada uma campanha brasileira de prevenção ao suicídio pelo Centro de Valorização da Vida (CVV), Conselho Federal de Medicina (CFM) e Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP) chamada Setembro Amarelo. O mês de setembro foi escolhido para denominar a Campanha porque o dia 10 de setembro é o Dia Mundial de Prevenção do Suicídio, conforme a Organização Mundial da Saúde (OMS). No mundo todo, a data é lembrada para dar destaque a ações e atividades a fim de sensibilizar e conscientizar a população a respeito dessa temática. 

SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO - SEDUC
Av. Pedro Freitas, S/N - Bloco D/F - Centro Administrativo
CEP: 64.018-900 - Teresina - PI